SL Benfica - CSKA (2-1): Noite 'gelada' na Luz

Muita bola, muitos remates, mas muito pouco discernimento, que resultou numa reviravolta dos russos.

SL Benfica - CSKA (2-1): Noite 'gelada' na Luz
Exibição muito apagados dos 'encarnados' // Fonte: SAPO

Na Luz, onde o Benfica nunca tinha entrado a perder na Liga dos Campeões, Rui Vitória contou com o regresso de Grimaldo na lateral esquerda, tendo promovido ainda Felipe Augusto a titular, no lugar de Samaris.

A primeira parte teve pouco de Champions e parecia mais o prolongamento do jogo com o Portimonense: lentidão de processos, incapacidade para romper as linhas juntas do CSKA Moscovo que alinhou num 3-5-2, povoando a zona central, mas também fechando os corredores laterais, tirando espaço aos 'encarnados'.

O melhor que os tetracampeões de Portugal fizeram nos primeiros 45 minutos foi um remate de Grimaldo ao poste, aos 38 minutos. Destaque ainda para um lance de Salvio aos onze minutos, onde o argentino não marca por pouco e um remate de cabeça de Jonas ao lado, aos 29 minutos.

Os russos lá criaram alguns lances de perigo no primeiro tempo, principalmente em jogadas de contra-ataque, sempre pelos rapidíssimos Vitinho e Olanare, que têm Dzagoev e Golovin nas costas. Este último ficou a centímetros do golo, aos 8 e 29 minutos, em remates perigosos. A formação orientada por Viktor Goncharenko estava satisfeito com o 0-0 e não arriscava muito no ataque, mesmo quando tinha espaços para tal.

Mas no regresso após o intervalo tudo se alterou, porque o Benfica entrou praticamente a vencer. Aos 50 minutos, um centro de Zivkovic na esquerda encontrou Seferovic ao primeiro poste. O suíço antecipou-se à marcação e desviou para o 1-0. De seguida podia ter surgido o 2-0 por Pizzi, que rematou contra Akinfeev, depois de uma falha do guarda-redes russo.

Com o resultado desfavorável, o CSKA Moscovo teve de arriscar mais e subiu no terreno, à procura do empate. Golovin viu Bruno Varela negar-lhe o empate num remate de fora da área que o guarda-redes do Benfica desviou para canto, aos 61 minutos.

O Benfica continuava a ter dificuldades em travar os russos. Os médios não recuavam a tempo de ajudar os defesas, Luisão e Lisandro foram várias vezes apanhados desprevenidos. Depois de tantas ameaças o CSKA chegou ao golo, na sequência de um canto após defesa de Varela, a bola foi à mão de André Almeida após remate na área, o árbitro apontou para a marca dos 11 metros. Vitinho não tremeu e igualou a partida, aos 62 minutos.

E cinco minutos depois, chegou a reviravolta russa, que 'gelou' ainda mais a noite fria e ventosa da Luz. Zhamaletdinov, que entrara aos 68 minutos no lugar do lesionado Olanare, fez o 2-1, na recarga a um remate defendido por Bruno Varela. 

Rui Vitória teve de arriscar tudo, lançando Gabriel Barbosa para o posto de Grimaldo, passando assim a ter três avançados e três defesas. Antes do segundo golo dos russos já tinha trocado o muito apagado Jonas pelo mexicano Raúl Jiménez. E perto do final ainda lançou Rafa no lugar de Lisandro, ficando apenas com André Almeida e Luisão atrás, com Rafa e Zivkovic a apoiar nos corredores.

Nos últimos minutos o Benfica carregou sobre a defensiva russa, na tentativa de, pelo menos, sair da Luz com pontos, mas faltava discernimento. A derrota em casa na estreia na Liga dos Campeões vem deixar a nu algumas das fragilidades defensivas exibidas pelo Benfica neste início de época. Os 'encarnados' terão de ir buscar estes pontos na Rússia.