Raio-X a Bas Dost: O Holandês voador

Chegou ao Sporting com o rótulo de transferência mais cara da história do clube. Para além disso, Bas Dost tinha, como tarefa imediata, fazer esquecer Islam Slimani. Terminada que está a temporada pode-se dizer que o holandês, não só cumpriu esse objectivo, como justificou cada cêntimo gasto na sua contratação.

Raio-X a Bas Dost: O Holandês voador
Raio-X a Bas Dost: O Holandês voador

Bas Dost começou a época no Wolfsburgo da Alemanha, tendo mesmo enfrentado o Sporting na pré-época, aquando da disputa do Troféu 5 Violinos. Contudo, as leis do mercado trouxeram o gigante holandês de volta a Alvalade, desta vez para vestir a camisola dos leões.

Foto: desporto.sapo.pt
Foto: desporto.sapo.pt

Dez milhões de euros foi o valor que o Sporting desembolsou para garantir o ponta-de-lança internacional holandês, um terço daquilo que os leões receberam pela transferência de Islam Slimani para o Leicester. E foi precisamente com o objectivo de colmatar a saída do argelino que o Sporting contratou Bas Dost...é caso para dizer que o holandês saiu melhor que a encomenda.

Logo no seu jogo de estreia, diante do Moreirense, o novo artilheiro verde-e-branco fez o gosto ao pé, marcando um dos três golos com que o Sporting venceu a partida. Foi o início de uma época recheada de golos. No total foram 37, dos quais apenas um não foi apontado com o leão rampante ao peito.

Foto: Sporting.pt
Foto: Sporting.pt

Com o evoluir da época, verificou-se que Bas Dost não era apenas um mero jogador-alvo a quem os colegas se limitavam a servir no jogo aéreo. O giagante holandês cedo mostrou uma elevada capacidade técnica e de leitura de jogo, características que encaixam na perfeição na dinâmica de ataque desenhada por Jorge Jesus.

À medida que Bas Dost se foi entrosando e ficando familiarizado com as rotinas de jogo da equipa, notou-se um evoluir do seu sentido tático. Juntamente com uma melhor gestão do seu esforço físico, foi-se revelando um jogador mais pressionante e com um sentido colectivo mais apurado.

Todavia, engane-se quem pense que o desenvolvimento destas características enfraqueceram a sua veia goleadora. Com efeito, Bas Dost sempre apresentou um faro para o golo e uma capacidade de finalização que há muito não se via nos relvados portugueses. Quando chega a hora de finalizar, o holandês raramente perdoa, seja de cabeça, pés, ou de grande penalidade. Factor paradigmático da influência do avançado holandês na época do Sporting é o facto deste ser responsável por 45% dos golos leoninos esta época.

O impacto de Bas Dost no Sporting foi como que imediato, catapultando o holandês para a galeria dos melhores pontas-de-lança que alguma vez vestiram a verde-e-branca. Resta saber se o 28 dos leões manterá o mesmo nível na próxima época ou, para desalento das defesas adversárias, resolve aumentar a parada.


Share on Facebook