Especial Tetra: Cervi e Zivkovic, revelações artísticas

Depois de jogadores como Ederson, Luisão e Pizzi, o Vavel Portugal decidiu falar dos artistas do Benfica neste Especial Tetra. Agora olhamos para os aprendizes de feiticeiro da equipa encarnada. Cervi e Zivkovic chegaram este ano à Luz mas já mostram capacidade e potencial para se afirmarem no plantel encarnado

Especial Tetra: Cervi e Zivkovic, revelações artísticas
Especial Tetra: Cervi e Zivkovic, revelações artísticas

Franco Cervi: Um pequeno grande jogador

Franco Emanuel Cervi, 22 anos, chegou ao Benfica proveniente do Rosário Central e com o rótulo de um dos melhores médios ofensivos a actuar no campeonato argentino.

Apesar de não primar pela sua evergadura, Cervi é dotado de um talento inegável. Ágil e veloz, o argentino tem qualidade técnica e criatividade capazes de desiquilibrar qualquer defesa. Para além disso, a sua versatilidade e capacidade de jogar, quer pelas alas, quer pelo corredor central, constituem uma mais valia no leque de opções ao dispor de Rui Vitória.

Irreverente, Cervi não tem medo de partir no um para um, uma vez que tem uma qualidade de drible acima da média. Para além de se envolver muito no jogo ofensivo, "Chucky", como também é conhecido, também ajuda a equipa a defender, pressionando incesantemente o adversário.

O seu maior problema é a sua tendência para desaparecer do jogo com muita frequência. O argentino tanto pode fazer uns 15 minutos fora de série, como nos 20 minutos a seguir pode andar em campo completamente alheado do jogo.

Esta foi umas das razões para o jogador perder a titularidade a meio do campeonato. Titularidade essa recuperada nesta recta final, onde o Benfica se sagrou Tetra Campeão Nacional.

Andrija Zivkovic: Artista em construção

Andrija Zivkovic tem 20 anos, e pode jogar nas três posições de apoio ao avançado, mas tem preferência em jogar pela ala direita, onde pode explorar o jogo interior.

Chegou ao clube encarnado proveniente do Partizan, onde cedo chegou a capitão de equipa. Zoran Filipovic, antigo avançado do Benfica, descreveu Zivkovic da seguinte forma : "Zivkovic tem coisas de Gaitán e é tecnicamente melhor (apesar de mais lento) do que Markovic".

Com a capacidade de criar desiquilibrios individuais, ou assistindo os colegas, a sua qualidade técnica está acima da média, para não falar da sua visão de jogo e capacidade de decisão.

Demorou a adaptar-se ao futebol português e as oportunidades dadas por Rui Vitória inicialmente não foram muitas. Mas mal começou a jogar, conquistou um lugar na equipa, quer fosse a titular ou um dos primeiros homens a saltar do banco.

Nesta reta final da temporada e misteriosamente, Zivkovic passou a ir para a bancada, para desagrado dos adeptos não só do Benfica mas como dos apreciadores de futebol, que reconhecem no sérvio um craque.

Cervi e Zivkovic são dois exemplos de jovens jogadores de enorme potencial, e que têm em Portugal a oportunidade de mostrar todo o seu talento, para alegria de qualquer adepto do famigerado futebol-espectáculo.


Share on Facebook