Especial Tetra: Ederson com luvas de aço

Defesas alucinantes, saídas rapidíssimas da baliza, jogo de pés brilhante e potência que consegue colocar a bola na área adversária. Este é Ederson, um dos melhores guarda-redes do mundo e peça fundamental no tetra do SL Benfica.

Especial Tetra: Ederson com luvas de aço
Muitos especialistas consideram Ederson top-5 mundial na sua posição // Fonte: RTP

Ederson Santana de Moraes, 23 anos, natural de Osasco, Brasil. No Brasil fez a sua formação no São Paulo, até 2009, ano em que se mudou para Portugal, com apenas 15 anos de idade, para jogar na formação do SL Benfica. Teve passagens pelo Ribeirão e pelo Rio Ave, onde se destacou e fez com que os encarnados o resgatassem. Já tinha tido um grande impacto na conquista do tricampeonato, mas nada se compara ao ano que o guardião das águias teve esta época, e é disso que vamos falar: o papel de Ederson na história do tetra.

Vamos começar pelos números. Fazendo uma comparação com o ano passado. Na sua primeira época com a águia ao peito, o brasileiro não era o dono da baliza, pois tinha um compatriota bem mais experiente a dar bem conta do recado. Mas Júlio César lesionou-se antes da partida do título, no estádio de Alvalade, e Ederson assumiu o lugar e respondeu da melhor forma, com uma exibição ‘daquelas’! A partir daí não largou mais o lugar até ao fim da época, na qual realizou 18 jogos em todas as competições, sofrendo 13 golos.

Este ano também não começou como titular absoluto, e isso não significava falta de confiança, significava, usando palavras de Rui Vitória, “confiança extrema em ambos os guarda-redes”. Mas a idade avança e as lesões são mais constantes, foi o que aconteceu a Júlio César, o que levou de novo Ederson a ser o dono da baliza do Benfica. Supondo que a época já acabou para o brasileiro, pois no último jogo deverá jogar Paulo Lopes, e para a taça Júlio César, Ederson realizou 39 jogos, nos quais sofreu 26 golos.

Exibição de uma Vida

14 de Fevereiro de 2017, Dia de S. Valentim. SL Benfica x Borussia Dortmund, jogo a contar para a primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões. Os alemães, como favoritos que eram, entraram com tudo a tentar marcar cedo, fizeram um jogo de sonho, a não deixar a equipa da Luz respirar e a criar oportunidades claras de golo. O Benfica acabou por ganhar 1-0, com uma eficácia enorme. Como? Como é que o Dortmund não ganhou este jogo? Dois nomes: Aubameyang e Ederson.

O primeiro falhou, falhou e falhou! Algo que não é normal no gabonês. O segundo defendeu, defendeu, defendeu e se houvesse mais provavelmente também defenderia. Ederson esteve numa noite inspiradíssima, e este jogo marcou a sua melhor exibição do ano. Defesas ‘impossíveis’, saídas a roubar a bola dos pés dos adversários, até um penalti para o meio defendeu, o que mostra estudo do adversário! Que noite de Ederson Moraes, quando na bancada estava Taffarel, responsável pelos guarda-redes da seleção brasileira.

Ederson foi um dos principais "culpados " do tetra
Ederson foi um dos principais "culpados " do tetra

Papel de Ederson no Tetra

O jovem de 23 anos foi o típico guarda-redes de equipa grande. As bolas chegaram lá poucas vezes, mas quando chegavam, estava preparado e respondia com muita classe e qualidade. Mas Ederson dava mais ao Benfica do que apenas segurança defensiva. O número 1 das águias funcionava como um verdadeiro trinco, que ia buscar todas as bolas que caíam nas costas da defesa. Com o seu jogo de pés super evoluído não era ‘recurso’ jogar para o guarda redes, era mesmo algo que fazia o jogo fluir, porque Ederson punha a bola onde queria.

A equipa técnica do Benfica aproveitou essa capacidade do guardião canarinho para criar uma jogada nunca antes vista no futebol. Essa jogada foi tentada por muitas vezes durante a época, mas só deu o verdadeiro resultado no jogo do título. É tão simples como isto: pontapé de baliza para o Benfica, como não há fora de jogo, o avançado encarnado desmarca-se em direção da área adversária e Ederson coloca lá a bola com a maior das facilidades. Fácil, inovador e eficaz, só ao alcance de jogadores com a qualidade de Ederson. Vejam a jogada em questão:

 

Não há grande europeu que não gostasse de contar com Ederson no seu plantel, é normal chegarem propostas ao clube da Luz pelo seu número 1, ainda para mais com as chamadas à seleção a serem cada vez mais regulares. Que grande guarda-redes que o Benfica tem, que talento, que futuro! É visto como um dos melhores do mundo, e Ederson tem tudo para colocar esta frase no singular.


Share on Facebook