As contas do título: os jogos quefaltam e os cenários que podem acontecer

Conheça o calendário dos dois candidatos e quando poderá haver campeão.

As contas do título: os jogos quefaltam e os cenários que podem acontecer
O título de Campeão Nacional ainda está por decidir // Foto: Facebook do SL Benfica

As vitórias de ontem de Benfica e FC Porto contra, respetivamente, Estoril (2-1) e Chaves (0-2) permitiram adiar por mais uma jornada a decisão do vencedor da Liga NOS 2016/2017. Assim sendo, os “encarnados” continuam na luta pelo tetracampeonato, objetivo inédito na sua História, enquanto que os “azuis e brancos” procuram conquistar um troféu que lhes foge desde 2012/2013, quebrando dessa forma a hegemonia do seu arquirrival. 

De facto, na próxima jornada (32ª) não poderá haver campeão, uma vez que mesmo que o Benfica vença e o FC Porto perca, ambos ficariam separados por seis pontos de distância, os mesmos que ficam por disputar até ao final do campeonato. Neste caso, seria preciso recorrer ao segundo critério de desempate, a diferença de golos, para apurar o vencedor, caso os “dragões” triunfassem nos dois últimos jogos e o Benfica os perdesse. 

Desta forma, o máximo a que os benfiquistas podem aspirar, neste momento, é a sagrarem-se campeões na 33ª jornada. Para isso, estão obrigados a ganhar os próximos dois jogos e a esperar por um eventual deslize (empate/derrota) do FC Porto. Se este acontecesse na próxima jornada, as “águias” seriam campeãs se vencessem, a 13 de maio, os vimaranenses no Estádio da Luz, independentemente do resultado dos portistas, que só jogam no dia a seguir. No entanto, se tal deslize só acontecesse na 33ª jornada, o Benfica celebraria o “tetra” no sofá. 

Tendo em conta estes cenários, o FC Porto só pode ser campeão na última jornada (34ª). Hipoteticamente, se o Benfica perdesse os próximos dois encontros, os dragões chegariam à derradeira jornada com mais três pontos na classificação que as águias. Todavia, nem seria preciso tanto: convém relembrar que “basta” uma derrota do Benfica- e partindo do princípio de que o FC Porto vence todos os seus jogos até final- para que ambos os candidatos fiquem em igualdade pontual, sendo necessário recorrer à já mencionada diferença de golos que, neste momento, é favorável ao conjunto nortenho (51 contra 48). 

No que diz respeito ao que falta jogar, avizinham-se encontros com grau de dificuldade máxima para ambos os conjuntos: no próximo fim-de-semana, o FC Porto desloca-se aos Barreiros para defrontar o Marítimo, conjunto que ocupa o 6º lugar; já o Benfica viaja até ao Norte do país, medindo forças frente a um Rio Ave com ambições europeias (7º lugar). 

Na jornada seguinte, são os tricampeões nacionais que têm, em teoria, o jogo mais complicado: recebem o sempre temível Vitória de Guimarães, que ocupa a 4ª posição, ao passo que os dragões têm agendada a visita do já resignado Paços de Ferreira (12º lugar).

Na última ronda, os candidatos fecham a edição da LIGA NOS com deslocações igualmente árduas: o Benfica desloca-se ao relvado do Bessa, para defrontar o Boavista (8º lugar), enquanto que o FC Porto vai a Moreira de Cónegos, onde medirá forças com o sempre incómodo Moreirense (16º lugar).