Análise VAVEL ao Clássico: o cenário de águias e dragões

O Benfica x Porto está cada vez mais perto, e com o Clássico já em mente surge uma questão: qual dos dois estará melhor preparado?

Análise VAVEL ao Clássico: o cenário de águias e dragões
Os dados estão lançados para um dos duelos mais decisivos da temporada

Os dados para este sábado estão lançados: o jogo que põe frente a frente águias e dragões poderá muito bem ser um dos embates mais decisivos da temporada e ser fulcral para o título de Campeão Português. De um lado, Rui Vitória e o seu plantel contam com um ponto de vantagem que não pode ser perdido, enquanto que, do outro, perder uma hipótese única de chegar à liderança do Campeonato não está nos planos de Nuno Espírito Santo e os seus pupilos. Qualquer equipa que saia derrotada terá de esperar o erro do adversário, por isso não existem dúvidas: é para vencer.

SL Benfica: A motivação de jogar em casa e chegar ao tetra

Não é segredo que jogar em casa é desde logo uma grande vantagem para qualquer clube, especialmente um grande com uma enorme massa associativa. Ainda para mais se o tetra campeonato (quarta conquista consecutiva) estiver a apenas algumas jornadas de distância. Tendo de jogar ainda em terrenos difíceis, como Alvalade ou o reduto do Marítimo, as águias não podem dar-se ao luxo de perder pontos frente ao seu maior concorrente para o título da temporada. Essa pressão terá de ser bem gerida pelas águias, que já tiveram uma vantagem pontual significativa perante os dragões, e aos poucos foram-na perdendo. 

Apesar de as águias contarem apenas com 2 derrotas e 4 empates, a eliminação das competições europeias frente ao Borussia Dortmund e a proximidade crescente do Porto - que poderia ter mesmo ultrapassado o Benfica depois do deslize da passada jornada - são fatores que colocam muita pressão do lado das águias e de Rui Vitória, que terão de saber jogar com todas as vantagens que a sua casa oferece. 

Neste sentido, e apesar dos muitos pontos ganhos pelo Porto às águias nas últimas partidas, é de referir que o empate do Benfica diante o Paços e a igualdade do Porto frente ao Setúbal poderá favorecer os encarnados. Recorde-se que na Capital do Móvel o Benfica empatou a zero e ficou na expectativa pelo que o Porto iria fazer no Dragão. A verdade é que os azuis acusaram a pressão e não abordaram o duelo diante os sadinos da forma fria e eficaz das jornadas anteriores. O empate a um significou uma grande perda de oportunidade dos dragões em chegar à liderança, o que permite ao Benfica enfrentar o clássico com o conforto de estar na frente da Liga NOS.

FC Porto: Recuperar a oportunidade perdida

O Porto chega à Luz com um objetivo muito claro em mente: recuperar a oportunidade que perderam na jornada passada frente ao Setúbal, não aproveitando o deslize das águias frente ao Paços de Ferreira. Estando um ponto atrás, esta será a única oportunidade em que o Porto depende apenas de si próprio para chegar ao topo da tabela, tendo de dar tudo dentro das 4 linhas para impedir o adversário de triunfar e, assim, ficar mais perto dos seus antigos dias de Glória.

Descartando o empate da passada jornada, o Porto chega à Luz com a motivação em alta, depois de 9 vitórias consecutivas no Campeonato com muitos golos marcados (sendo uma delas o emblemático 7-0 frente ao Nacional da Madeira). A derrota na Liga dos Campeões frente à Juventus poderá ser um fator que ainda repercute algum desânimo, contudo poderá ser especialmente usado como força para conquistar o único troféu que ainda está ao seu alcance, e logo o mais importante de Portugal. 

Com estes fatores em consideração, é sem dúvida alguma expectável que o Benfica encontre um Porto motivado, mas com algum desespero que poderá jogar em sentido contrário ao pretendido. Futurismos no desporto altamente imprevisível que é o futebol não resultam, e em época Pascal resta saber se serão os fiéis da Catedral a vencerem iluminados pela Luz, ou se serão os discípulos de Espírito Santo a alcançarem o milagre da liderança.