RX aos convocados: Nani

A VAVEL Portugal convida-o a conhecer um dos artistas mais talentosos dos 23 escolhidos de Fernando Santos para o Euro. Nani dribla, combina com os colegas e marca golos que deslumbram qualquer amante do futebol.

RX aos convocados: Nani
Nani é um artista com a bola e uma mais valia para as quinas

Com uma carreira repleta de êxitos, Nani chega ao Euro 2016 na plenitude dos seus recursos e onde se prepara para fazer dupla com Cristiano Ronaldo, sendo sem dúvida um trunfo incrível para levantar a tão ambicionada Taça. Tirar a bola a Nani não é tarefa fácil, evitar os remates fortes é uma missão complicada, sendo de salientar que o ala tem técnica e joga bem no meio e na ala, sempre previligiando o futebol perfumado e estético.

Nani: driblar e marcar festejos "mortais"

A famosa academia do Sporting viu nascer o talento do irreverente Nani. O extremo foi lançado por Paulo Bento e as fintas soberbas não deixaram ninguém indiferente. Nos leões, Nani brilhou intensamente na conquista da Taça de Portugal, mas foi a campanha incrível na Champions que levou o Manchester United a investir 25 milhões de euros para o levar para o Teatro do Sonhos. No clube inglês, Nani partilhou as 4 linhas com CR7, chegando ao topo da carreira com a conquista da Premier League e principalmente da Champions de 2008.

A exigência de jogar num clube deste nível acabou, no entanto, por pesar, e Nani registou quebras exibicionais que o afastaram a pouco e pouco dos relvados. Em 2014/2015 o extremo empolgou os adeptos do Sporting e regressou a Alvalade a título de empréstimo do Manchester United. A temporada foi bastante razoável e terminou com a cereja (Taça) em cima do bolo. A final do Jamor ditou a despedida de Nani dos leões e o Fenerbahçe estava no horizonte.

O emblema turco adquiriu o jogador em definitivo e a recepção dos calorosos adeptos do Fenerbahçe catapultaram Nani para uma temporada recheada de golos lindíssimos. Depois do Europeu de 2012 e do Mundial de 2014, Nani prepara-se para marcar presença na sua 3ª fase final de grandes competições de selecções. O extremo criativo vestiu até agora as cores nacionais por 96 vezes tendo festejado 18 tentos a representar as quinas.

De malas feitas para França, Nani prepara-se para jogar como falso ponta de lança ao lado de Cristiano, uma posição que pode potenciar o factor surpresa. Ou seja, o facto de Nani se colocar numa posição pouco fixa irá dificultar as marcações dos oponentes. Com Nani em campo Portugal ganha velocidade supersónica, dribles deliciosos e remates potentes e colocados. O pé direito de Nani permite ainda ao jogo das quinas uma capacidade brutal para marcar cantos e livres.

A regularidade, porém, é ainda uma lacuna do atleta de 29 anos, uma vez que num só jogo o ala é capaz de lances geniais, mas pode também desaparecer exibicionalmente com grande facilidade. Para as cores lusas, Nani é sem dúvida um craque extraordinário e é com expectativa que se aguardam muitos saltos mortais do extremo rumo ao que sabe, até ao título europeu.


Share on Facebook