Pré-Dupla de Ataque

Numa altura em que já não se consegue distinguir muito bem o plantel do FC Porto 2015/2016 do de 2016/2017, as ideias de José Peseiro já começam a ter o seu peso na reconstrução primeiro de uma boa equipa e, depois, de um grande clube. Estamos na fase em que nada se sabe, tudo se diz e todos contribuem para a especulação. A VAVEL Portugal pegou no que já é público e analisa o que poderá ser o ataque dos dragões na atual pré-época e na pré-época que só começa depois da final da Taça de Portugal.

Pré-Dupla de Ataque
Pré-Dupla de Ataque

Não há como negar. Os treinadores que mais sucesso desportivo e financeiro têm trazido ao FC Porto são técnicos portugueses de gerações diferentes mas com muita experiência acumulado.

Do engenheiro ao professor, do treinador adjunto ao treinador principal, da equipa A à equipa B há coisas no FC Porto que são sempre iguais: a competência, o caráter e a vitória são sempre recompensadas. Raros são os treinadores e jogadores portistas que não saem daquela casa melhores profissionais do que eram e, numa altura em que Pinto da Costa promete aos adeptos mais mudanças que nunca, os dragões estão sob fogo. A próxima equipa que carregar a Invicta ao peito terá de dar uma resposta, no mínimo, tão boa como a que os novatos Villas-Boas ou José Mourinho já deram.

Em vésperas de um FC Porto-Sporting que definirá a época de uns e a pré-época de outros, muito se tem falado da qualidade recentemente demostrada pelo FC Porto de José Peseiro que, para a VAVEL, sempre foi a mesma. José Peseiro tem sido, no maior desafio da sua carreira, um treinador igual a si próprio: tem uma ideia de jogo que, sem os jogadores certos a defender bem em todos os momentos do jogo, corre sempre o risco de permitir demasiados contra-ataques ao adversário, chame-se ele Moreirense ou Borussia Dortmund.

O ataque do FC Porto é, para a VAVEL, o setor que melhor tem evoluído desde que Peseiro é treinador. Olhemos para o setor de forma clara: Jogadores como Varela, Corona, Suk ou Marega já conseguiram provar que, em diferentes contextos, podem ser úteis ao FC Porto apesar de poderem sair já no próxima Verão.

Os «grandes ativos» Brahimi e Aboubakar, sempre que jogam têm de render e têm-no feito. Ambos os jogadores estão a ser apontados pela imprensa como titulares frente ao Sporting. Na opinião da VAVEL isso até pode ser verdade mas, com um treinador tão versátil como José Peseiro, (já jogou em 4-4-2 losango, já jogou em 4-3-3 e já jogou em 4-2-3-1) o que fica difícil apostar é como é que o FC Porto se apresentará no início e como evoluirá o sistema tático dos dragões ao longo do jogo.

Por fim, lembrar que jogadores e «ex-jogadores» como Quintero, Albero Bueno, André Silva ou Ismael Díaz também já têm minutos e minutos de qualidade pela equipa principal do FC Porto, também importa ter estes miúdos em consideração quando começar a próxima pré-época do FC Porto.

Prever que José Peseiro ficará no FC Porto é impossível mas, para a VAVEL Portugal, essa seria a decisão teoricamente melhor para os dragões. Para nós, tudo dependerá dos objetivos que o ribatejano será ou não capaz de cumprir: a pré-eliminatória da Liga dos Campeões já está garantida, agora falta garantir a presença na final da Supertaça do próximo ano.


Share on Facebook