Jiménez, o homem do momento no Benfica

O internacional mexicano foi decisivo com a Académica e Rio Ave, e anteriormente já tinha sido determinante na vitória sobre o Nacional para a Taça da Liga.

Jiménez, o homem do momento no Benfica
Jiménez tem sido decisivo para as águias // Foto: Facebook do SL Benfica

Raúl Jiménez tem sido o homem decisivo do Benfica. Novamente em Vila do Conde, depois de em Coimbra ter deixado a sua marca na vitória por 2-1. Juntos, Jonas e Mitroglou somam no campeonato quase meia centena de golos, mas se o Benfica conquistar o tricampeonato, os benfiquistas terão muito a agradecer a um jovem avançado mexicano. Esta época leva 10 golos, sendo que metade foram na Liga portuguesa, dois na Taça da Liga e três na Liga dos Campeões.

Jiménez tem noção de que é difícil ser titular: “Sei que o Jonas e o Mitroglou estão num bom momento, já levam muitos golos e é difícil com esta concorrência. Os três queremos ser titulares mas sabemos que não dá. Tenho de demonstrar o que sou capaz. O treinador falou comigo algumas vezes e disse-me que sabe o que posso dar à equipa. Felizmente, nestes últimos jogos retribuí-lhe a confiança. Estou a fazer um bom final de campeonato, que é o que procuro, com poucos minutos mas a responder tal como devo fazer. Como avançado, tenho de fazer golos e quero continuar desta forma”.

Contra o Rio Ave marcou o golo decisivo na vitória por 1-0, e na flash interview da Sport TV, o avançado admitiu que tem estado no local certo à hora certa. “Eu sabia que tinha de estar naquela zona à espera que a bola caísse ali e felizmente caiu e eu consegui marcar. Voltei a ser decisivo. Está a tocar-me e fico contente por tudo o que tem feito a equipa, sem ela eu não seria tão importante. Seja nos 90 minutos ou nos 10 minutos finais, tens sempre que dar o máximo. Um avançado tem de estar na área e a mim já aconteceu marcar cinco vezes depois de entrar. Para mim é importante poder corresponder. Faltam-nos ainda três jogos muito importantes, nos quais temos de dar o nosso melhor, como temos vindo a fazer. Jogando bem, não há quem nos ganhe.E deixa o repto: “Estamos todos unidos pelo mesmo objetivo. Temos de jogar todas as partidas no limite.”


Share on Facebook