Académica 1-2 FC Porto: Segunda vitória consecutiva para os 'dragões'

A equipa de José Peseiro viajou até Coimbra para arrancar três difíceis pontos, numa derrota que compromete as aspirações da 'briosa' na luta pela manutenção.

Académica 1-2 FC Porto: Segunda vitória consecutiva para os 'dragões'
Académica
1 2
FC Porto

Helton foi a única novidade de José Peseiro em relação ao 'onze' apresentado frente ao Nacional da Madeira. José Ángel, Rúben Neves e André Silva mereceram, mais uma vez, a confiança do técnico portista para o embate de Coimbra.

Primeira-parte de grandes golos

Minuto 12 e a primeira aparição portista em Coimbra, com Maxi Pereira a surgir com espaço pela direita, atirando para Pedro Trigueira responder com boa defesa. Volvidos seis minutos, Maxi executa rapidamente o lançamento, André Silva serve Varela que falha de forma incrível com a baliza aberta. A primeira subida da equipa academista à área portista deu frutos. Rafael Lopes surge em boa posição quando é travado por Maxi. O uruguaio é amarelado e Pedro Nuno, em boa hora, assume a responsabilidade do livre direto, executando-o de forma perfeita! Bola bem junta ao canto superior direito, sem hipóteses para Helton. Minuto 38 é sinónimo de minuto espetáculo em Coimbra. Lançamento longo de Maxi Pereira com a bola a sobrar para Rúben Neves que, de primeira, atira de forma indefensável para Trigueira. Mas que grande golo do jovem jogador dos azuis e brancos. 

Segunda parte com superioridade a fazer a diferença

Segunda parte começa com o jovem ponta-de-lança portista, André Silva, a trabalhar bem dentro de área, atirando para nova excelente intervenção de Pedro Trigueira. Minutos depois, Aderlan surge em excelente posição na área, mas demora muito tempo para efetuar a finalização, permitindo o corte a Martins Indi. Momento de desilusão em Coimbra quando ao minuto 68, o recém-entrado Brahimi tenta servir André Silva que não chega à bola…enganando Pedro Trigueira com o seu movimento, permitindo que a bola acabe dentro da baliza academista. Jesús Corona quase acabava com as aspirações dos ‘estudantes’ mas o remate do mexicano saiu ligeiramente ao lado. Plange quase que imitava Pedro Nuno e Rúben Neves mas a infelicidade bateu à porta da equipa de Filipe Gouveia. Ganhando espaço entre os centrais e vendo Helton ligeiramente adiantado, o avançado academista tenta o chapéu que sai com ligeira força a mais, batendo no ferro da baliza do histórico portista. Fim de partida, três pontos para os azuis e brancos e nova semana de aflição para a equipa da Académica.


Share on Facebook