Jesus e Marco Silva: leões à sua maneira

Jorge Jesus e Marco Silva, o actual e o ex-treinador do Sporting. Dois símbolos de duas gerações distintas, de qualidade indubitável, que marcam a história recente do Sporting. Com a paragem num campeonato a entrar na sua recta final, fazemos agora uma breve comparação do estilo dos dois treinadores, no que ao espírito e motivação de jogadores diz respeito.

Jesus e Marco Silva: leões à sua maneira
Foto: LUIS MANUEL NEVES

Não há qualquer dúvida que, quando se fala de Jorge Jesus e Marco Silva, estamos a falar de dois dos melhores (senão os melhores) treinadores portugueses da actualidade. Todavia, e como não poderia deixar de ser, existem diferenças claras na forma como abordam o futebol e todas as suas vicissitudes. Tais diferenças têm, obviamente, como pano de fundo, a diferença etária. De um lado está Jesus, de 61 anos, do outro Marco Silva com 38; dois homens nascidos e criados em épocas diferentes e, por isso, com visões diferentes do futebol.

Para além da sua qualidade, ambos os treinadores partilham o facto de vestirem, e terem vestido, as cores do Sporting. Marco Silva chegou a Alvalade no ínicio da época passada, depois de um trajecto brilhante enquanto técnico do Estoril. Ao serviço do clube de Alvalade, o treinador lisboeta trouxe títulos para o museu leonino com a conquista da Taça de Portugal.

Apesar disso, as más relações com a direcção leonina levaram Marco Silva a abandonar o Sporting, acabando por chegar aos gregos do Olympiakos, onde recentemente se sagrou campeão grego. Para o seu lugar chegou precisamente Jorge Jesus; depois de seis anos no rival Benfica, Jesus foi treinar o rival, num dos movimentos mais marcantes do futebol nacional.

Com a história de ambos bem fresca, e olhando somente para os números, verificamos que, apesar de apenas estar a disputar o campeonato, Jesus soma, à 27ª jornada, 65 pontos com o Sporting, mais oito do que Marco Silva no período homólogo. É certo que, tal como é habitual, foram feitas algumas mexidas no plantel, contudo, existem diferenças entre as duas equipas que ultrapassam a matemática e o mercado de transferências.

O Sporting de Jorge Jesus é um Sporting com a marca de alguém que subiu todos os degraus da escada do nosso futebol; alguém que conhece como ninguém todos os pormenores, manhas e estratégias do jogo. Assim, Jesus incute garra e espírito guerreiro aos seus jogadores, fazendo-lhes ver que uma atitude vencedora e lutadora é meio-caminho andado para o triunfo, algo que o próprio técnico passa cá para fora no trato com a comunicação social.

Com isto não queremos dizer que Marco Silva tem menos "fome de vitórias", apenas que Jesus tem um modo particular de incutir nos seus jogadores a faísca que origina a chama do combate. No caso de Marco Silva, a situação era diferente; o técnico construiu um Sporting mais racional e metódico, baseado numa relação forte de proximidade com os jogadores. No que à mensagem exterior diz respeito, Marco quase sempre se pautou pela postura serena, quase politicamente correcta, não entrando em jogos psicológicos ou em provocações.

Foto: desporto.sapo.pt
Foto: desporto.sapo.pt

A qualidade e vontade de vencer está bem incutida nestes dois treinadores, eles apenas têm maneiras diferentes de o demonstrar.


Share on Facebook