Análise Vavel: Os escolhidos se o Euro fosse amanhã

Saiu ontem a última convocatória de Fernando Santos antes de se conhecerem os 23 que vão a França e nomes como Renato Sanches, Adrien, Raphaël Guerreiro ou Rafa Silva estão entre os eleitos. A VAVEL analisou as escolhas do engenheiro e antecipa o que poderão significar os próximos jogos de preparação frente à Bulgária e à Bélgica.

Análise Vavel: Os escolhidos se o Euro fosse amanhã
Análise Vavel : Os escolhidos se o Euro fosse amanhã

Um treinador e um selecionador são coisas completamente diferentes, mas é antes das grandes competições de seleções que as duas profissões se fundem.

Nos próximos tempos o selecionador Fernando Santos transformar-se-á no treinador Fernando Santos. O engenheiro, como qualquer treinador de clube, escolherá o seu plantel e atacará um objetivo com base na confiança que tem nos seus jogadores e que os seus jogadores têm consigo.

Com o aproximar do EURO 2016, surge a necessidade de Fernando Santos fechar o seu grupo e todos os 24 que jogarão os próximos dois jogos de preparação da seleção nacional podem sonhar com uma presença no Campeonato da Europa. A VAVEL  debruçou-se sobre a convocatória nacional e esmiuçou-a posição a posição.

Guarda-redes (Rui Patrício, Anthony Lopes e Eduardo):

Beto, Eduardo ou Marafona um dos três poderá marcar a presença no Euro 2016
Beto, Eduardo ou Marafona um dos três poderá marcar a presença no Euro 2016

Percebem-se as escolhas de Fernando Santos. É praticamente certo que, em condições físicas normais, os três guarda-redes portugueses convocados para o Europeu sejam Rui Patrício, Beto e Anthony Lopes. Ainda assim, Eduardo ou Marafona podem beneficiar do facto do guarda-redes do Sevilla estar a ter uma época difícilima e muito marcada por lesões (Beto ainda só participou em 4 jogos oficiais). Os escolhidos para os dois jogos de preparação são Patrício, Anthony Lopes e Eduardo

Defesa Direito (Cédric e Vieirinha):

Esta é talvez a posição com que Fernando Santos terá menos com que se preocupar e as escolhas do engenheiro foram as previsíveis. Cédric e Vieirinha têm estado a jogar muito bem em dois campeonatos muito competitivos e, além disso, têm sido convocados regularmente por Fernando Santos. Os dois jogadores, se não se lesionarem, têm a sua presença em França praticamente garantida, sendo que jogadores como Nélson Semedo, André Almeida, João Pereira ou Ricardo Pereira também já mostraram qualidade suficiente para ser o defesa-direito da seleção.

Defesa Esquerdo (Eliseu e Raphaël Guerreiro)

Durante muito tempo Fábio Coentrão foi o defesa-esquerdo indiscutível da seleção portuguesa, mas esses tempos parecem ter acabado. O jogador natural de Vila do Conde tem tido uma época muito irregular no Mónaco e as lesões não o têm deixado afirmar-se nem a defesa lateral, nem a médio centro e nem a médio ala (já jogou em todas estas posições).

Eliseu continua a merecer a confiança de Fernando Santos
Eliseu continua a merecer a confiança de Fernando Santos

Em boas condições físicas, Fábio Coentrão tem tudo para ser o defesa-esquerdo titular da seleção mas, desde que Fernando Santos é treinador, Eliseu tem tido o seu protagonismo. O lateral açoreano do Benfica deve fazer os próximos dois jogos de preparação a titular e é um sério candidato a titularidade no Europeu. Raphaël Guerreiro é um jovem com muito valor e, com a ausência de Coentrão por lesão, pode aproveitar a oportunidade para brilhar mais do que Eliseu. A VAVEL não pode deixar de fazer notar a pouca consideração do Fernando Santos por Antunes, um jogador que, para nós, já provou ser melhor do que Eliseu

Defesa Central (Bruno Alves, Pepe, Ricardo Carvalho e José Fonte)

Para a VAVEL, Fernando Santos não tem qualquer dúvida que estes são os jogadores certos para levar a França e a verdade é que todos os jogadores têm feito boas épocas e têm experiência e qualidade suficientes para jogar qualquer jogo e, mais que isso, todos têm maturidade suficiente para saber ajudar o grupo mesmo não estando em campo. 

Médio-defensivo (Danilo Pereira e William Carvalho)

Quando se joga em 4-4-2 clássico como a seleção portuguesa faz, convém sempre que um dos médios-centro tenha caraterísticas defensivas e que, com isso, consiga recuperar muitas bolas.

Danilo Pereira e William são dois jogadores bons no posicionamento, mas o jogador do FC Porto consegue ser mais agressivo e eficaz no desarme (o que lhe deverá dar a titularidade neste momento). Só em circunstâncias muito especiais é que é provável que joguem juntos, mas faz sentido convocar os dois jogadores porque são dois elementos de muita qualidade e que, jogando ao lado de um bom médio-centro, podem garantir dinâmicas de qualidade na equipa.

Médio-centro (Adrien, Renato Sanches, João Mário e André Gomes)

Todos estes quatro jogadores, tendo caraterísticas diferentes, poder-se-iam comportar muito bem jogando ao lado de William ou de Danilo. Esta é a posição em que Portugal mais se vê prejudicado por lesões (Moutinho e Tiago que foram decisivos na fase de qualificação estão lesionados), mas Adrien e Renato Sanches viram premiadas as suas grandes temporadas e têm, com esta convocatória, uma excelente oportunidade para mostrarem que podem estar no Europeu.

Renato Sanches foi chamado pela primeira vez
Renato Sanches foi chamado pela primeira vez

João Mário pode ser um grande médio centro, mas é possível que seja desviado para a ala direita e jogue na posição onde Jesus o pôs a jogar este ano. André Gomes é um jogador com imensa capacidade para desiquilibrar, boa capcidade de transporte, bom remate mas tem de melhor a sua agressividade defensiva se quiser jogar a titular numa equipa que só joga com dois médios. A VAVEL acredita que todos estes médios têm condições para ir ao EURO mas, se Moutinho estiver fisicamente bem nessa altura, então é provável que caia o nome de Renato Sanches.

Extremos/Médio-ala (Nani, Quaresma, Bernardo Silva)

Bernardo Silva e Nani partem à frente de Quaresma na luta pela titularidade mas é evidente a qualidade individual que Portugal tem nesta zona do terreno. Podia trazer-se a tona a questão Pizzi mas, para a VAVEL, a qualidade individual quer de Quaresma, quer de Bernardo, quer de Nani é muito superior à de Pizzi e, se nos parece que Bernardo Silva lutará com João Mário por uma vaga no lado direito do meio campo português, também devemos dizer que, do outro lado, nem Nani nem Quaresma podem descansar um segundo pois são dois mágicos puros a lutar por um lugar na equipa.

Avançados (Rafa Silva, Danny, Éder, Cristiano Ronaldo)

A dupla predileta de Fernando Santos tem sido Ronaldo-Danny e a verdade é que, sendo dois grandes tecnicistas, os dois jogadores acabam por se entender. Fernando Santos acreditou que a melhor solução para tirar proveito de Cristiano Ronaldo seria colocá-lo não a ponta-de-lança (porque estando sempre na área, Ronaldo não conseguiria fazer as diagonais que tanto gosta), mas avançado, jogando em pareceria com outro jogador que conseguisse garantir qualidade defensiva a Portugal desde que a bola está na defesa adversária.

CR7 continua a ser grande estrela da companhia
CR7 continua a ser grande estrela da companhia

Éder é um jogador muito trabalhador e a sua combatividade pode dar jeito em certos jogos, por isso faz sentido a sua chamada e Rafa Silva tem provado, esta época, ter qualidade suficiente para desafiar qualquer defesa. A VAVEL pensa que um jogador que, pela sua inteligência e qualidade técnica, poderia encaixar como uma luva neste sistema de avançados da seleção seria Rui Fonte do Sp. Braga. Apesar da nossa convicção de que Rui Fonte podia ser útil à seleção, nesta altura já é quase impossível que alguém que não estes avançados entre nas contas de Fernando Santos para o EURO.

Os próximos dois jogos de preparação trarão mais dúvidas e mais certezas a Fernando Santos. O que, nesta altura parece certo é que Portugal tem condições para fazer um bom europeu. Uma equipa que, entre outras coisas, conta com a experiência de Ricardo Carvalho, a potência de Cristiano Ronaldo, a força de Danilo Pereira ou a inteligência de João Mário, tem de ter capacidade de sonhar!


Share on Facebook