Porto x Dortmund: passeio alemão na Invicta!

Os azuis e brancos não se superiorizaram à fortíssima equipa alemã do Borussia de Dortmund e vê assim mais um dos objectivos da época sair furado.

Porto x Dortmund: passeio alemão na Invicta!
A equipa alemã não deu qualquer chance ao FC Porto.
FC Porto
0 1
B. Dortmund
FC Porto: CASILLAS, MAXI, LAYÚN, MARCANO, JOSE ÁNGEL, DANILO, RÚBEN NEVES, EVANDRO, MAREGA, VARELA, ABOUBAKAR.
B. Dortmund: BURKI, GINTER, BENDER, HUMMELS E SCHMELZER; WEIGL E GUNDOGAN; MKHITARYAN, KAGAWA E REUS; AUBAMEYANG
Placar: 0-1, MIN. 23, AUBAMEYANG.
ÁRBITRO: MARK CLATTENBURG (ING). AMARELADOS: EVANDRO (MIN. 14), BURKI (MIN. 58), SAHIN (MIN. 59), MAXI (MIN. 90)
INCIDENCIAS: 16 AVOS DE FINAL DA LIGA EUROPA. 2ª MÃO ESTÁDIO DO DRAGÃO.

A missão da equipa do FC Porto era praticamente impossível e os alemães trataram de resolver cedo a questão, de modos a não deixar qualquer dúvida para o resto do jogo. Vitória tranquila dos «bávaros» que colocam a equipa de Peseiro fora das competições europeias.

Primeira-parte dita sentença

José Peseiro promoveu várias alterações no ‘onze’ inicial. Na defesa, Layún jogou na posição de Martins Indi, como defesa-central (ao lado de Marcano; Chidozie não está inscrito) enquanto José Ángel foi titular no lado esquerdo. André André e Herrera saltaram para o banco de suplentes entrando Evandro e Rúben Neves para os seus lugares. No ataque, uma revolução. Face à última partida, Corona, Brahimi e Suk saltaram da formação inicial para entrar Marega, Varela e Aboubakar. Um 4-2-3-1 com Rúben Neves e Danilo mais fixos sobre o meio-campo com Evandro mais solto na construção e apoio ao ataque. A equipa orientada por Thomas Tuchel entrou no Estádio do Dragão na máxima força, utilizando uma estratégia de posse de bola sempre com olho no contra-ataque. 

Contra-ataque esse que foi letal ao minuto 23’. Rapidíssima saída de bola com Mkhitaryan a assistir Reus que atira para excelente defesa de Casillas. Na recarga, o goleador Aubameyang, em posição irregular, praticamente sentenciava a partida. Os ‘dragões’ deram ar de sua graça ao minuto 40', numa excelente jogada individual de Evandro. No entanto, o remate do brasileiro saiu ligeiramente ao lado Mais perto do intervalo foi Bürki a brilhar, numa extraordinária defesa a cabeceamento de Varela. No entanto, a equipa azul e branca saiu para o intervalo sem marcar qualquer golo, tornando a tarefa para o segundo tempo praticamente impossível. 

Segunda-parte sem história

Para o segundo tempo, e ao contrário do seu colega de profissão, José Peseiro  não mexeu no ‘onze’ inicial. Apostou na mesma formação para atacar o “milgare” de eliminar a equipa alemã na segunda parte. A toada de jogo manteve-se a mesma, com a posse de bola do FC Porto a ser quase sempre inconsequente. Ao minuto 55’, Aboubakar teve nos pés uma excelente oportunidade mas o remate de calcanhar do avançado sai fraco, para as mãos de Bürki

Suk foi aposta no segundo tempo.

Minutos depois, entrava Suk para o lugar do camaronês. Ao minuto 60', expulsão perdoada a Nuri Sahin numa entrada ‘assassina’ sobre Danilo Pereira. No decorrer do segundo tempo foram lançados Herrera e Brahimi, habituais titulares. O argelino, perto do final, atirou ao ferro da baliza de Bürki, mas o resultado estava feito. Palavra para Danilo Pereira, o melhor na equipa azul e branca que não parou de lutar durante todo o tempo de jogo, não atirando a toalha ao chão e sempre incentivando os colegas de equipa. Assim chegou o final da partida e a certeza que o FC Porto está fora da Liga Europa. Para o resto da temporada, só o campeonato e Taça de Portugal são hipóteses de salvar uma época que, mais uma vez, se pinta de cinzento para os 'dragões'.

 


Share on Facebook