Porto ao ataque: Aboubakar ou Suk?

Na vitória frente ao Moreirense, Suk foi decisivo e deixou Aboubakar a aquecer o banco. Estará José Peseiro a mudar o ataque azul e branco?

Porto ao ataque: Aboubakar ou Suk?
Foto: Facebook do FC Porto

No passado Domingo, o japonês Suk estreou-se a marcar de dragão ao peito, sendo fundamental para dar impulso a uma reviravolta épica diante o Moreirense. O ex-Vitória de Setúbal leva já 9 tentos (8 ao serviço dos sadinos) na Liga NOS, e é neste momento uma ameaça para o africano Aboubakar. O camaronês foi o artilheiro de serviço no clássico da Luz e são já 11 os tiros certeiros no campeonato.  A Peseiro caberá decidir qual dos 2 se encaixará melhor no sistema de jogo que pretende apresentar, mas um facto é inegável: a qualidade dos avançados é gritante e evidente.

Suk: o samurai está pronto para a batalha

No mercado de Inverno, Suk trocou o Vitória de Setúbal pelo FC Porto, dando o salto para um grande para confirmar o potencial goleador que evidenciou no clube do Sado. No Vitória, Suk foi a estrela do golo e um dos principais responsáveis pela belíssima campanha do Setúbal na primeira volta da Liga NOS. Na chegada ao Porto, o japonês trouxe na bagagem 8 golos e prometeu lutar pela titularidade na invicta

Depois de ter sido utilizado na Taça da Liga e na Liga Europa sem fazer o gosto ao pé, Suk não esmoreceu e em pleno Estádio do Dragão ganhou a titularidade diante o Moreirense. Nesta partida, o asiático deixou Aboubakar no banco e, a par de Layún, foi o melhor jogador em campo. Ao intervalo,  os dragões perdiam 0-2 frente aos cónegos e Suk foi fulcral para dar a volta na segunda parte. Antes do golo, Suk enviou ainda uma bola ao travessão, estreando-se mais tarde a fazer o gosto ao pé depois de um passe de Layún. 

Foto: Facebook do FC Porto

Ainda é cedo para avaliações profundas, mas a nível tático Suk ofereceu ao ataque do dragão uma presença forte na grande área. Com o japonês na frente, o Porto jogou com maior profundidade nas alas para procurar o avançado com cruzamentos constantes, de forma a aproveitar o bom jogo aéreo do asiático. A  dinâmica ofensiva portista beneficiou também porque Suk, apesar da robustez física, tem uma capacidade interessante para segurar o esférico e combinar com os médios. A curto  prazo, o japonês poderá ganhar o lugar a Aboubakar por se tratar aparentemente de um jogador mais completo e com a garra necessária para se afirmar no dragão como um goleador demolidor. 

Aboubakar: início avassalador, mas a queda acentua-se

Na sombra de Jackson Martínez, em 2014/2015, Aboubakar iniciou a nova temporada com a ambição de agarrar o lugar de principal seta apontada às redes contrárias. Nas 5 primeiras jornadas da Liga NOS, o africano desatou a marcar golos, levando o tribunal do Dragão a esquecer um tal de Jackson Martínez. A verdade é que, a partir daí, Aboubakar entrou em queda livre e sucederam-se as partidas em que o avançado falhava escandalosamente lances de golo eminente. De bestial a besta, o artilheiro passou a ser contestado pelos mesmos adeptos que tanto o aplaudiram.

Com a chegada de Peseiro, Aboubakar voltou a saborear o doce gosto do golo e neste momento soma 11 tentos na Liga, a  7 de Slimani e 13 de Jonas. Na memória recente dos invictos está o golo decisivo do africano na Luz, frente ao eterno rival, que ditou a reviravolta no marcador. Com o camaronês, o Porto conta na frente com um jogador batalhador, móvel e com instinto goleador. As trocas constantes de posição baralham os oponentes, mas por vezes falta o tal toque final que era fácil de concretizar. O avançado ajuda a construir, tem qualidade técnica mas peca na forma como desperdiça golos cantados. 

Suk ou Aboubakar? A questão mantém-se e resta a Peseiro resolver o impasse de qual será, a partir daqui, o verdadeiro dono da frente ofensiva do Dragão.


Share on Facebook