Sporting x Bayer Leverkusen: leão sem garra cai aos pés dos alemães

Na primeira mão dos dezasseis avos de final da Liga Europa, o Sporting foi derrotado em casa pelo Bayer Leverkusen por 0-1. O herói da partida foi Bellarabi, que ao minuto 25 bateu Patrício pela 1ª e única vez no encontro.

Sporting x Bayer Leverkusen: leão sem garra cai aos pés dos alemães
Leão perde frente ao Bayer Leverkusen justamente.
Sporting
0 1
Leverkusen
Sporting: RUI PATRÍCIO; JOÃO PEREIRA, COATES, RUBEN SEMEDO E JEFFERSON; JOÃO MÁRIO, WILLIAM CARVALHO, AQUILANI (61' ADRIEN SILVA) E BRYAN RUIZ; CARLOS MANÉ E TÉO GUTIERREZ (61' SLIMANI)
Leverkusen: LENO; JEDVAJ, TOPRAK, TAH E WENDELL; HAKAN ÇALHANOGLU; KRAMER E BRANDT (65'. PAPADOUPOLOS); MEHMEDI KIESSLING E BELLARABI.
Placar: 0-1 MIN 25 BELLARABI.
ÁRBITRO: BJORN KUIPERS (HOLANDA). AMARELADOS: 21' JEDVAJ. 30'. MEHMEDI. 46'. ÇALHANOGLU, 57'. SEMEDO
INCIDENCIAS: UEFA LIGA EUROPA. ESTÁDIO DE ALVALADE 16-AVOS DE FINAL

A pensar na partida frente ao Boavista, a contar para a Liga NOS, o Sporting entrou nas quatro linhas sem chama e ambição de se superiorizar aos germânicos do Bayer Leverkusen. Num jogo fraco valeu o golo de Bellarabi para decidir o 0-1 final, a favor dos alemães. Para a segunda mão, desta eliminatória da Liga Europa, o Sporting terá que vencer 0-2 para se apurar e não poderá contar com o central Rubén Semedo, que viu nesta partida de Alvalade cartão vermelho. 

Primeira parte: Bellarabi estragou a festa verde e branca

O estádio de Alvalade coloriu-se de verde e branco para ser o palco de mais um extraordinário espectáculo da Liga Europa. Com Jefferson, Aquilani, Mané e Téo no 11 inicial, Jorge Jesus pensou no embate da próxima Segunda-Feira frente ao Boavista apresentando-se nesta Liga Europa sem grandes ambições. Pelo prestigio internacional, os leões tiveram pela frente o terceiro classificado da Bundesliga e o duelo revelou-se duro, equilibrado e com muita qualidade táctica, principalmente por parte dos germânicos. 

O Sporting deu o pontapé de saída na partida e o equilíbrio no meio campo foi nota de destaque nos instantes iniciais. Numa incursão no ataque Kiessling rematou pela primeira vez no jogo deixando o aviso a Patricio. Os leões tentaram subir no terreno nos primeiros minutos com William e Aquilani a procurarem espaços nas alas valendo a boa organização defensiva do Bayer para evitar essas iniciativas do miolo. Toprak ao minuto 13 ficou a centímetros do golo depois de uma falta infantil de João Pereira, que quase resultou em festejo para os alemães. Os germânicos subiram no terreno e começaram a dominar os acontecimentos, faltando agressividade aos sportinguistas na pressão ao adversário. À passagem do minuto 17, Jefferson subiu oportunamente no terreno e depois de um passe de Téo atirou para grande defesa do guardião do Bayer. Quatro minutos depois, Téo encontrou espaço na área e ficou perto do chapéu, dando sequência a uma ligeira melhoria na qualidade de jogo dos pupilos de Jesus.

Ao vigésimo quinto minuto, Bellarabi gelou Alvalade e bateu Patricio num golo com muitas facilidades da defesa verde e branca. Os centrais leoninos falharam na marcação e os alemães abriram o marcador. O Sporting reagiu ao tento sofrido mas faltou maior profundidade para os homens de Alvalade chegarem ao empate. Numa belíssima jogada de Bryan Ruiz, os leões ficaram perto do tento mas na hora de furar a rede, o defesa do Bayer negou a igualdade. Na luta pela posse de bola, Aquilani esteve medíocre e o Bayer acabou por gerir os ritmos de jogo e soube jogar com a vantagem no score. No contra-golpe verde e branco faltou maior clarividência na finalização com os artilheiros a evidenciarem pouca inspiração. 

Em suma fica a ideia que o Sporting entrou para esta eliminatória com o pensamento na Liga NOS, faltando a habitual pressão alta dos médios, bem como incursões rápidas protagonizadas pelos extremos. Aquilani foi uma sombra do que costuma ser deixando William Carvalho sozinho na luta contra os poderosos centro-campistas dos germânicos. Apesar de ter tido 2/3 ocasiões para fazer o gosto ao pé, o Sporting foi para o intervalo em desvantagem acabando por ser um resultado justo, perante um Bayer mais dinâmico, focado e ambicioso. Ao descanso, valeu o golo de Bellarabi para colorir o marcador. 

Segunda parte: onde ficaram as garras do leão?

Quando os mais de 26 mil adeptos em Alvalade ouviram o árbitro da partida apitar para o descanso pensaram com certeza que a sua equipa iria reagir à fraca 1ª parte e quem sabe tentar dar a volta ao marcador. Na verdade, a exibição sportinguista piorou e era mais do que evidente que o pensamento da formação de Jorge Jesus esteve no jogo da próxima Segunda-Feira, frente ao Boavista. Nos primeiros 15 minutos deste segundo tempo, os verde e brancos não conseguiram construir sequer uma jogada colectiva, perdendo a pouca consistência na posse de bola que registaram na 1ª parte. As principais desilusões deste período leonino foram Aquilani, João Mário e, principalmente Téo, com este último a evidenciar falta de confiança e pouco agressividade na hora de batalhar com os defesas do Bayer.

Ao minuto 60, Jorge Jesus retirou do recinto de jogo Aquilani e Téo, fazendo entrar para os seus lugares Adrien e Slimani. No minuto que antecedeu estas substituições, o técnico leonino ficou com os nervos em franja com Téo, depois de uma perdida incrível do colombiano que poderia ter dado o empate, acabando por faltar critério e espirito matador para balancear as redes. Com Adrien e Slimani em campo esperava-se um Sporting mais alegre e dinâmico, mas foram os germânicos a criar perigo, ao minuto 67 e 70. Numa primeira fase, Kramer falhou por escassos centímetros e mais tarde foi Papadoupolos a ganhar posição aos centrais verde e brancos, falhando por pouco o alvo na sequência de um canto. O futebol entusiasmante dos homens de Alvalade não apareceu nesta noite de Liga Europa e para coroar esta péssima exibição, relevo ainda para a expulsão de Rubén Semedo, aos 73 minutos depois de uma falta imprudente do jovem leão a meio campo. Com 10 unidades nas quatro linhas, o Sporting deu ainda mais espaço ao Bayer e ao minuto 77, Mehmedi testou a atenção de Patricio ficando perto do 2º do encontro.  

O Sporting não conseguiu reagir e o último lance de perigo neste duelo pertenceu aos alemães por intermédio de Bellarabi, ao minuto 86 que bombardeou o poste de Patricio falhando por pouco o segundo golo da sua equipa e provavelmente, o golo que poderia deixar já as contas da eliminatória decididas. No geral, ficará para a história um jogo fraco em Alvalade que ainda assim valeu pela garra e pelo bom futebol da equipa do Bayer Leverkusen. O Sporting acaba por ser feliz por sofrer apenas um golo e, caso queira dar a volta aos acontecimentos dentro de uma semana em solo alemão terá de correr mais, batalhar muito mais e focar-se a 100% no jogo que está a disputar.

O pensamento dos leões estava sem dúvida nas contas do campeonato português  com Jorge Jesus a guardar os seus trunfos tácticos para apostar tudo no jogo de Segunda-Feira, frente ao Boavista. O prestígio verde e branco ficou em causa com esta derrota e a VAVEL Portugal arrisca mesmo dizer que em 90 minutos, o Sporting apenas conseguiu criar uma única ocasião clara para bater o Bayer, o que acaba por ser um registo fraco para uma das melhores equipas portuguesas. Não é impossível, mas para o Sporting se superiorizar a esta coesa equipa germânica terá de mostrar a sua verdadeira garra de leão, que na noite de hoje parece ter ficado no balneário.


Share on Facebook