Raio X ao grupo B: sotaque britânico ao ritmo de Bale

O grupo B foi emocionante e renhido, com os vizinhos Inglaterra e País de Gales a disputarem até ao fim o topo da tabela. A Eslováquia também conseguiu a perícia para avançar para a próxima fase, ficando apenas a Rússia pelo caminho.

Raio X ao grupo B: sotaque britânico ao ritmo de Bale
País de Gales, Inglaterra e Eslováquia continuam na competição

Quatro seleções, três delas apuradas para os oitavos de final: é assim que se pode descrever o percurso deste grupo B. O País de Gales arrasou e surpreendeu, a Inglaterra não poderia ter tido outro destino se não o de passar, e a Eslováquia conseguiu ser uma dos melhores 3º classificados, permanecendo no Euro. Foi um grupo de jogos emocionantes e imprevisíveis, e com um desfecho inesperado: a eliminação da Rússia. Relembre o que se passou neste conjunto de titãs.

Equipa em destaque: País de Gales, o estreante nos oitavos

Como não poderia deixar de ser, o maior destaque deste grupo vai para o País de Gales. A seleção de Bale e companhia esteve ao rubro, conquistando 6 pontos em 9 possíveis, e ficando imprevisivelmente à frente da vizinha Inglaterra. Os galeses demonstraram ser fortes, coesos e imperdoáveis na hora de marcar, tendo esta atitude garantido um apuramento descontraído e de destaque. 

A estreia no Europeu deu logo indícios de que o País de Gales não vinha apenas ver a Torre Eiffel, com a vitória por 2 bolas a 1 frente à Eslováquia a tornar esta intenção bem clara. O agora melhor marcador Bale (ao lado de Morata) inaugurou o marcador aos 10 minutos, mas o empate chegou pelos pés de Duda. Foi então que Robson-Kanu não estremeceu na hora decisiva e, aos 81’, ditou o resultado final. No jogo seguinte a vitória já não sorriu aos galeses, apesar de Bale ter inaugurado o marcador, mais uma vez, desta feita ao minuto 42. Contudo, Vardy e Sturridge souberam ser mais eficazes e deram a vitória à Inglaterra. 

O País de Gales celebrou a passagem aos oitavos de final
O País de Gales celebrou a passagem aos oitavos de final

A última partida era decisiva, não só para o apuramento mas para o adversário possível dos oitavos de final. Parecia uma partida difícil, mas para grande desilusão dos seus adeptos a Rússia não se mostrou à altura do desafio, deixando o País de Gales conquistar a sua maior vitória até ao momento, com golos de Ramsey, 11’, Taylor, 20’ e Bale, aos 67’. A prestação notável do País de Gales oferece-lhe um lugar de destaque, especialmente se considerarmos o facto de ser uma nação estreante em fases finais, que teve a capacidade de alcançar o primeiro lugar do grupo. Bale é a estrela, mas também o médio Ramsey tem sido uma grande figura da seleção, ao demonstrar-se um motor do futebol positivo praticado pelos galeses. 

Destaque também para a Inglaterra e a Eslováquia: apesar de se esperar mais dos ingleses, foi sem surpresas que o apuramento foi conseguido; do lado da Eslováquia a passagem aos oitavos acabou por ser uma surpresa agradável, com uma boa fase de grupos a tornar o futuro promissor. Na Eslováquia há ainda que destacar o momento mais bonito do grupo: aquele que, provavelmente, é dos melhores golos do Euro até ao momento. O golo de Hamsik, a grande estrela da equipa, é repleto de qualidade, desferindo um remate protentoso só ao alcance das grandes estrelas do futebol internacional. 

Jogador em destaque: Gareth Bale, o matador

O craque Gareth Bale, companheiro de Cristiano Ronaldo no Real Madrid, é, sem dúvidas, a estrela deste grupo. O extremo dos galáticos soma já três golos que o colocam no topo dos melhores artilheiros do Euro, tendo mesmo sido uma das figuras fundamentais para o apuramento do País de Gales para os oitavos de final. Os golos de Bale espelham todo o seu esplendor e qualidade, tanto no instinto feroz dentro da área como na forma letal com que converteu livres diretos. Bale é sinónimo de golo, técnica e alta velocidade, e ainda promete dar muito que falar neste Euro 2016. 

A desilusão: Rússia, tanto para dar e nada a ficar

Se havia seleção de que se esperava muito mais, era a Rússia. Com um plantel de qualidade deu que falar, mas mais pelos desacatos dos seus adeptos do que pelo futebol bem praticado e conseguido. Conseguiu o mais difícil logo na 1ª jornada, ao empatar frente aos ingleses, mas nas duas seguintes o rendimento desceu e sofreu derrotas inesperadas frente à Eslováquia e ao País de Gales. Na hora de saber decidir e ser eficaz falhou, e foi essa atitude que colocou a seleção russa no fim da tabela, sem qualquer hipótese de ambicionar ir mais longe.

Se era esperado que a Eslováquia ficasse pelo caminho, em contrapartida pouco se imaginava a Rússia a ficar para trás, especialmente com apenas um ponto somado. Certo é que, quando se diz que o futebol surpreende, não é brincadeira, e foi mesmo a Eslováquia que levou a melhor. Para a História fica um campeonato falhado dos russos, onde o espetáculo dos bastidores foi, efetivamente, mais efusivo do que o futebol praticado dentro das quatro linhas.

Os oitavos de final

Os oitavos de final prometem dar que falar para estas três seleções: por um lado o País de Gales defronta a também vizinha Irlanda do Norte, enquanto a Eslováquia defronta a difícil Alemanha numa partida em que vai com a desvantagem de não ser favorita. Por fim, a Inglaterra joga frente à Islândia, num jogo em que parte com o favoritismo mas tem de ser cautelosa, para não se repetir o que sucedeu com Portugal ao enfrentar esta seleção.


Share on Facebook