GP do Canadá: Análise às equipas. Em modo “Aborrecido”

Análise à exibição das equipas no GP do Canadá 2015.

GP do Canadá: Análise às equipas. Em modo “Aborrecido”
Hamilton de volta às vitórias ( foto ; Mercedes)

Não foi a melhor corrida de F1 que assistimos nos últimos tempos. A corrida teve poucos motivos de interesse, poucas lutas. Foi difícil manter a atenção durante todo o tempo da prova e numa altura que se falam em mudanças para melhorar a F1, o GP do Canadá foi a prova que algo precisa de ser feito.

Mercedes: Não são de facto idiotas

Hamilton voltou a sorrir e venceu no Canadá. O britânico não teve problema nenhum em gerir a corrida e venceu merecidamente a contenda. Liderou sempre a prova e Rosberg não teve andamento para ele. No entanto viu-se algo que não é normal. O Estilo de condução de Hamilton costuma ser mais poupado do que o de Rosberg mas por algum motivo, Lewis chegou ao fim com o deposito “na reserva”. Os Mercedes melhoraram o seu motor sem usar os famosos “Tokens”, apenas melhorando a fiabilidade do motor, algo permitido nas regras. Como disse Wolf, “não são sempre idiotas”. Muito pelo contrário.

Hamilton: 9

Rosberg: 8

Mercedes: 9

Williams: Bottas volta a provar o champanhe

O péssimo desempenho do Mónaco tinha de ser apagado e nada melhor que uma pista que favorecesse os Williams. Canadá era tudo o que eles precisavam e aproveitaram o melhor que puderam. Massa teve uma corrida difícil, depois de ter sido eliminado na Q1 devido a uma falha no motor Mercedes. Recuperou até ao 6º lugar e teve uma prestação forte. Mais forte só mesmo Bottas que aproveitou o deslize do seu compatriota para voltar ao pódio. Numa toada discreta mas segura, Bottas vai amealhando muitos pontos para a equipa. Ainda estão longe do que se imaginou que poderiam fazer mas este resultado é uma injecção de moral para a equipa. No ano passado a Williams mostrou-se mais forte a partir da corrida da Áustria. Será que é o ponto de viragem?

Bottas: 8

Massa: 8

Williams: 7

Ferrari: Iceman a derrapar no gelo?

Não foi no gelo mas parecia. A forma como perdeu o carro no gancho foi estranha e algo embaraçosa, uma vez que aconteceu o mesmo no ano passado. Mas mesmo que não tenha sido culpa do piloto e de facto tenha sido um problema no acelerador, Kimi Raikkonen desperdiçou mais uma hipótese de subir ao pódio. Já são várias as oportunidades desperdiçadas e o finlandês começa a ter a pressão cada vez mais do seu lado. Com Vettel a ter de ultrapassar a grande maioria dos carros, estava nos ombros de Kimi levar a Scuderia ao pódio, numa semana onde foram introduzidas melhorias ( pouco visíveis) no motor. Mas Kimi em vez de falhar na qualificação, falhou na corrida. Mas infelizmente falhou mais uma vez. E viu Bottas, um dos mais fortes candidatos ao seu lugar a ficar com o lugar do pódio que deveria ter sido seu. Sintomático? A nossa aposta é que para o ano infelizmente não teremos Kimi na Ferrari. Vettel mostrou que é o patrão. A qualificação não lhe correu de feição e o carro deu de si. Mas fez uma excelente corrida e acabou em 5º, logo atrás do seu colega de equipa. Agora imaginem se ele tem saído de um lugar decente. Vettel é o nº1 da Scuderia.

Vettel: 8

Raikkonen: 6

Ferrari: 8

Lotus: Maldonado finalmente nos pontos.

Se uma corrida em que Maldonado acabasse sem problemas já seria noticia, acabar nos pontos é ainda mais. O venezuelano manteve um ritmo interessante ao longo da corrida e conquistou com isso um 7º bem apetitoso dadas as circunstancias. Fez melhor que Grosjean que se embrulhou com Stevens e foi com isso penalizado acabando apenas em 10º. Foi um fim de semana positivo mas podia ter sido melhor. A pista favorecia o motor Mercedes e a equipa podia ter aproveitado os azares da Ferrari e a falta de competitividade dos motor Renault  para marcar mais pontos. O andamento que mostraram  merecia mais. Esperemos que mantenham na Áustria, pista que ao nível da exigência é semelhante ao Canadá.

Maldonado: 7

Grosjean: 6

Lotus: 6

Force India: Hulkenberg motivado é outra loiça

Que a Force India tem um line up muito bom ninguém duvida. Que Hulkenberg é excelente também ninguém questiona. Mas os desempenhos do alemão podiam levar a pensar o contrario. Mas para a semana o homem vai pra Le Mans lutar por um pódio… e significa que a moral está no alto e como tal isso reflectiu-se na corrida. Esteve bem melhor do que num passado recente e a posição que alcançou reflecte isso. Já Pérez ( que também quando quer é excelente) não esteve tão bem e não conseguiu repetir a façanha do Mónaco. Vem lá a Áustra e finalmente a versão B do carro que passou nos testes de colisão da FIA. Esperemos que com o carro venham melhores performances. Estes pilotos merecem.

Hulkenberg: 7

Pérez: 6

Force India: 5

Red Bull: Mau… muito mau.

Já se sabia que o Canadá não ia beneficiar os Renault e os Honda, mas os franceses apareceram muito em baixo de forma e com isso pagou a Red Bull. Falta de andamento gritante e uma corrida que foi uma nulidade. Kvyat conseguiu ainda assim pontuar mas o caso mais grave foi Ricciardo. O australiano que venceu no ano passado não conseguiu  melhor que o 13º e os chefes de equipa reuniram-se pois acharam a falta de andamento do carro muito estranha e algo de anormal se passou. Um sorriso forçado no final da corrida para Ric que tem sido arrastado com a má forma da Red Bull. Que saudades das suas ultrapassagens.

Kvyat: 6

Ricciardo: 5

Red Bull: 4

Toro Rosso: Nem bom nem mau

Com Sainz e Verstappen tão mal colocados no arranque e com um motor Renault fraco não se esperava muito mais da equipa. Uma corrida onde ainda se envolveram com os carros da “casa mãe” mas sem lucrar nada com isso. Um fim de semana sem pontos e sem história para a equipa.

Verstappen: 5

Sainz: 5

Toro Rosso: 4

Sauber: Faltou tudo

Ericsson teve uma corrida “ok” segundo ele, com as limitações que o carro tem  ( e o piloto também, dizemos nós).  Já Nasr teve problemas no motor e nos travões o que levaram ao resultado medíocre que teve.  Numa pista com estas características e com o carro da Sauber , não se esperava muito mais. Só a chuva ou uma hecatombe traria um bom resultado para a equipa de Peter Sauber.

Ericsson: 4

Nasr: 4

Sauber: 4

Manor:  Vale  a pena falar?

Sem carro novo, e com apenas um patrocinador como novidade, o andamento foi o esperado (4seg por volta mais lentos que a concorrência). Stevens acabou a corrida e Mehri teve de abandonar com problemas no seu carro. Apreciamos o esforço da equipa mas a falta de andamento custa a ver.

Sem notas

McLaren: Depois da alegria… a desilusão

Foi o primeiro fim de semana em que, segundo Button, se viu um retrocesso na evolução do carro. Pouco andamento e muita sede de combustível. Uma receita que nunca dá bom resultado no Canadá. O carro foi francamente lento e apenas a luta de Alonso com Vettel animou um pouco as hostes ( luta mais pelo orgulho ferido do que pela posição… essa estava perdida à partida). Boullier já veio dizer que é preciso melhorar em tudo… motor, chassi, aerodinâmica… Perguntamos nós se não é este o mesmo carro que há 2 meses atrás apenas precisava de um motor mais potente? Fala-se muito em evoluções e em melhorias e em ano zero… Mas caramba falamos da McLaren. Não têm 3 dias de F1. Tinham obrigação de fazer muit melhor.   

Button e Alonso: 10 pela paciencia que têm

McLaren: 2