Volta a Portugal: Uma vénia a Rui Sousa

Que grande vitória do ciclista português. O ciclista do povo volta às vitórias na Grandíssima um dia antes de anunciar a sua retirada. Alarcón continua líder.

Volta a Portugal: Uma vénia a Rui Sousa
Vitória merecida para o 'nosso' Rui // Fonte: DN

O grande veterano do pelotão nacional, um dos corredores mais acarinhados em Portugal, Rui Sousa, foi o grande vencedor da 6ª etapa da Volta a Portugal, com chegada a Fafe.

O ciclista da RP-Boavista integrou a fuga do dia, foi alcançado e voltou a atacar na Pedra Sentada, escapando-se para o triunfo. O pódio da jornada ficou completo por Vicente Garcia de Mateos e Rinaldo Nocentini, num fantástico dia de ciclismo, cheio de ofensivas e táctica. Raul Alarcon mantém a camisola amarela.
A etapa começou muito movimentada e um grupo de 16 elementos isolou-se, com Ricardo Mestre, António Carvalho, Bruno Silva, Rui Sousa, Filipe Cardoso, Guillaume Almeida, Jesus Ezquerra, Nuno Almeida, Hamish Schreurs, Simone Ravanelli, Chris Prendergast, Jasper de Laat, Sebastien Baldauf, Mikel Bizkarra e Bjorn Thurau. Como estavam presentes homens perigosos para a classificação geral e a diferença era de 5 minutos, o Sporting-Tavira e a LA decidiram encetar a perseguição.
Tudo se começou a partir no Alto do Viso, a diferença para a frente baixou, o ritmo aumentou imenso, e tanto o grupo dianteiro como o pelotão começaram a perder unidades, com Alejandro Marque em grandes apuros, fruto do esforço de Amaro Antunes. Quando Marque recolou, arrancou Raul Alarcon, que teve perseguição direta de Mateos, Benta, Nocentini e Amaro Antunes. Veloso passava dificuldades e Ricardo Mestre e António Carvalho descaíram da fuga.

Mesmo perto do alto ficavam no grupo principal Alarcon, Mateos, Benta, Amaro, Veloso, António Carvalho, Ricardo Mestre, Rinaldo Nocentini e João Benta, a cerca de 30 segundos de Rui Sousa, Mikel Bizkarra.
Já na descida o grupo restrito liderado pela W52-FC Porto alcançou o duo da frente, momento em que Ricardo Mestre caiu. Na primeira passagem pela meta Sérgio Paulinho e Henrique Casimiro estavam a 30 segundos e o grupo de Marque a 1:50, sendo que o duo da Efapel colou 5 kms depois.

O único a mexer na corrida na Pedra Sentada foi Rui Sousa, que rapidamente abriu uma vantagem de 20 segundos. Só que na ascensão a Golães, António Carvalho acelerou e cortou essa diferença para 10 segundos.

A 3 kms da meta saiu Mikel Bizkarra em busca de Rui Sousa, mas ninguém viria a conseguir apanhar o português da RP-Boavista, que teve tempo para celebrar uma vitória genial.

No sprint para o 2º lugar e pelas bonificações foi Vicente de Mateos a superar Rinaldo Nocentini. Alejandro Marque cedeu cerca de 1:20 para os restantes favoritos. Apesar de todas as incidências, Raul Alarcon mantém a liderança, agora com 24 segundos de vantagem sobre Rinaldo Nocentini.


Share on Facebook